23 maio 2014

Herança

"A herança da liberdade pertence ao dever cumprido." (Emmanuel)

Herança é o direito pessoal de alguém, o herdeiro, ao patrimônio total ou parcial de uma pessoa que faleceu. De acordo com a lei sucessória, a posse da herança segue a seguinte ordem: 1.º) os descendentes; 2.º) os ascendentes; 3.º) o cônjuge sobrevivente; 4.º) os parentes colaterais até o 4.º grau, isto é, até primos e co-irmãos; 5.º) o Estado.

Em termos bíblicos, a noção de herança é mais ampla do que a jurídica, pois diz respeito às promessas de Deus e à obtenção do reino de Deus. Observe que desde o início a herança tem uma ligação direta com a Aliança, que se apresenta da seguinte forma: Israel é a herança de Javé, a terra prometida é a herança de Israel, e ela se torna a herança do próprio Javé. 

Nos Evangelhos, encontramos dizeres de que Jesus é o arauto do Reino de Deus, a herança deixada por Deus aos seus eleitos. Acontece que essa herança não vem de mãos beijadas. O próprio Jesus entrou na posse da herança pelo sofrimento na cruz, pela paixão e morte. Este é o obstáculo para entrar no reino dos Céus. Assim sendo, para nos tornarmos herdeiros do reino dos céus temos que seguir os exemplos do mestre Jesus. 

Uma reflexão sobre a herança pode nos levar a muitos caminhos. Por exemplo: que tipo de herança devemos deixar aos nossos filhos? Há pesquisas de que quando os pais deixam muitos bens aos filhos isso, em vez de ser um bem é um mal, pois eles não sabem dar valor aos bens recebidos. Por isso, em vez de nos preocuparmos com o bem-estar material, o correto é deixarmos a herança do bom exemplo, da virtude e do comportamento correto. 

A herança pode ser relacionada com a reencarnação, com a riqueza, com a lei de causa e efeito etc. Verifiquemos a relação entre herança e morte. O Espírito Irmão X, no capítulo 4 "Treino para Morte", do livro Cartas e Crônicas, alerta-nos sobre a preparação para a morte. No que tange aos aspectos da herança, pede para que deixemos tudo organizado, a fim de evitar as brigas e desavenças entre os herdeiros. Isso pode atrapalhar o progresso de nosso espírito quando no mundo dos desencarnados. 

Outro tipo de reflexão bastante interessante é: qual o grau do nosso apego à herança? Para tanto, lembremo-nos da seguinte história: conta-se, muitas vezes, o caso do conferencista espírita que sempre criticava a riqueza, como sendo um incômodo à evolução do espírito. Em meio a uma conferência, é comunicado que tinha sido agraciado com uma enorme herança. Nunca mais se viu o conferencista fazendo as suas pregações. 

O desapego aos bens terrenos é uma conquista do espírito. Não são palavras, os pensamentos emitidos, mas uma ação concreta que brota do interior de cada um de nós.
ver mais